O que deve saber antes de comprar terreno para construir casa

6 Setembro 2021

Se optou por comprar um terreno para construir a sua nova casa, saiba que há mais a fazer do que preparar e assinar o Contrato de Promessa de Compra e Venda (CPCV) desse pedaço de terra que reúne as características que idealizou. Neste artigo, mostramos-lhe os elementos determinantes que tem mesmo de saber sobre o terreno que pretende comprar:

1- Conhecer o “cadastro” do terreno

Em primeiro lugar, deve pedir para consultar os documentos do terreno, nomeadamente a Certidão de Registo Predial e a Caderneta Predial atualizadas, para saber se o terreno tem ónus ou encargos. O mais indicado será pedir uma Certidão de Viabilidade Construtiva, emitida pela respetiva Câmara Municipal, onde consta toda a informação de um imóvel, incluindo as características geomorfológicas.

2- Consultar o Plano Diretor Municipal 

Se vai construir, tem mesmo de consultar o Plano Diretor Municipal (PDM) na respetiva Câmara Municipal, que inclui todas as regras, condicionantes e restrições à construção:

  • o regulamento para o uso, transformação e ocupação do solo;
  • a planta de ordenamento, com a organização do espaço no território municipal;
  • a planta de condicionantes, onde são indicadas quaisquer restrições de utilidade pública e de construção.

Se o terreno escolhido estiver já integrado em loteamento, deve consultar a última versão do alvará de loteamento deferida e eventuais planos de pormenor que possam existir. É com base nestes planos que vai ficar a saber quais as características da possível construção: polígono de implantação, áreas, número de pisos, altura de muros, etc..

3- Apresentar projeto e pedir licenças

O ideal é que o terreno já esteja inserido numa zona com autorização para construção e que as infraestruturas básicas estejam facilmente acessíveis. Mas se não for o caso e o terreno não estiver integrado em loteamentos, eis o que terá de apresentar:

  • um projeto de licenciamento junto da respetiva Câmara Municipal, ou seja, um projeto de arquitetura da nova construção e todos os projetos de engenharia;
  • requerimento para emissão do alvará de construção, após aprovação do projeto;
  • requerimento para a emissão de autorização de utilização, após conclusão da obra.

4- Calcular taxas, impostos e isenções fiscais

Por último, deve consultar o Regulamento Municipal de Taxas Relacionadas com a Atividade Urbanística e Operações Conexas do Município para conhecer quais as taxas e impostos aplicáveis, assim como as isenções e reduções de que poderá beneficiar. Deste rol destacamos:

  • taxas urbanísticas e taxas de compensação urbanísticas inerentes ao processo de licenciamento;
  • Imposto Municipal sobre Transmissões (IMT);
  • Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).

Se pretende comprar um terreno e poupar tempo, esforços e dinheiro neste processo, venha ter connosco. Os técnicos especilizados do nosso Gabinete online vão ajudá-lo a concretizar o seu projeto, sem imprevistos nem preocupações.

Imagens © Direitos reservados

Publicações Recentes

Já se candidatou ao Vale Eficiência?
Já se candidatou ao Vale Eficiência?
28 Novembro 2023

Já conhece o apoio Vale Eficiência? Sabe do que se trata e quem tem direito?

Este apoio é financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), com uma dotação de 104 milhões de euros, e tem como intuito entregar 100 000 vales a famílias economicamente vulneráveis e que habitem em edifícios em situação de pobreza energética.

Este vales podem ser utilizados para investir na melhoria do conforto térmico das habitações através da realização de intervenções na envolvente ou da substituição ou aquisição de equipamentos e soluções energeticamente eficientes.

Eficiência energética em imóveis: Como tornar a sua casa mais eficiente
Eficiência energética em imóveis: Como tornar a sua casa mais eficiente
8 Novembro 2023

Num mundo cada vez mais preocupado com a sustentabilidade e a conservação de recursos, a eficiência energética em imóveis tornou-se uma questão central. A nossa casa é onde passamos a maior parte do tempo, e é também onde consumimos a maior parte da energia. Portanto, tornar a nossa casa mais eficiente em termos de energia não só beneficia o ambiente, mas também a nossa carteira.